7 formas de acabar com a flacidez em todo corpo

7 formas de acabar com a flacidez em todo corpo

Para acabar com a flacidez de vários locais do corpo é recomendado investir em alimentos ricos em proteína e colágeno, além de praticar atividades físicas, não fumar e manter o peso estável, porque estes hábitos ajudam na formação do músculo e proporcionam firmeza à pele.

Também existem tratamentos estéticos, com uso de cremes e fisioterapia dermato funcional que ajudam neste processo, e podem promover bons resultados.

Assim, algumas dicas importantes para o tratamento da flacidez são:

1. Aumentar a ingestão de água
Uma hidratação adequada da pele, ajuda a manter a sua elasticidade, pois renova as fibras de colágeno, o que é importante para mantê-la firme e tonificada. Além disto, a água melhora a circulação e impede o inchaço causado pela retenção de líquidos.

7 formas de acabar com a flacidez em todo corpo
2. Consumir alimentos ricos em proteínas e colágeno
A proteína encontrada em carnes magras, grãos, ovos, leite e derivados é fundamental na manutenção dos músculos que ajudam a preencher a pele. Além disto, apostar em uma alimentação rica em colágeno, presente na laranja, limão, kiwi, tangerina entre outras frutas cítricas é importante, porque ajuda a manter a firmeza da pele.

Os suplementos à base de colágenos, comprados em lojas de produtos naturais, também podem ser uma boa forma de aumentar a ingesta desta substância ao longo do dia.

Leia também: Flacidez

Além disto, os vegetais, chá verde e frutos vermelhos são ricos em antioxidantes, por isso são também importantes para evitar a flacidez da pele, já que estas substâncias combatem o envelhecimento precoce.

Veja a lista de alimentos para diminuir a flacidez e ter uma pele perfeita.

3. Praticar exercícios físicos
Praticar atividades físicas, principalmente a musculação, tira a flacidez pois fortalece e aumenta as fibras musculares e tonifica a pele. Além disto, os músculos que se ganha na musculação substitui a gordura, que é mole e deixa locais do corpo como, abdome, braços e coxas mais flácidos.

4. Parar de fumar
O cigarro prejudica a circulação de sangue pelo corpo, além de ter substâncias que aceleram o envelhecimento dos tecidos, por isto, deve-se evitar o hábito de fumar ou viver em ambientes com fumaça de cigarro para se conseguir resolver a flacidez.

5. Manter o peso estável
O efeito sanfona, que acontece quando se perde peso e engorda com frequência, faz com as fibras elásticas que formam a pele se rompam, o que causa flacidez e estrias. Assim, é importante, ao emagrecer, manter os hábitos saudáveis para que o peso fique estável e não prejudique a pele.

6. Usar cremes
Aplicar diariamente, nos locais com maior flacidez, cremes para a pele à base de silício ou colágeno, podem trazer bons resultados. Confira quais são os melhores cremes para diminuir a flacidez.

Também existem cremes naturais, que podem ser feitos em casa, como os a base de ovos, mel, frutas e farinha de trigo, por exemplo, que ajudam a tonificar a pele. Aprenda a receita de um ótimo creme caseiro para a flacidez.

7. Fazer tratamentos estéticos
Tratamentos realizados na fisioterapia dermato funcional, como o uso de aparelhos de radiofrequência, carboxiterapia ou crioterapia, por exemplo, são estratégias utilizadas para acabar com a flacidez, e têm melhores resultados com a realização de atividade física e alimentação equilibrada.

As sessões de radiofrequências vão ajudar na formação de novas de fibras de colágeno que confere sustentação à pele e vai contrair as fibras de colágeno existente, o que confere ótimos resultados, principalmente, na flacidez abdominal, que costuma acontecer após engravidar.

Entretanto, é preciso levar em consideração que a flacidez também é uma característica genética e se há outras mulheres na família, como mãe, avó ou irmãs, que tenham a pele muito flácida, os resultados poderão ficar comprometidos.

Dicas de “skincare” para manter a pele saudável em todas as idades

Dicas de “skincare” para manter a pele saudável em todas as idades

Dermatologista responde quando é o ideal para começar a ir a especialistas e quais produtos são indicados dependendo da fase da vida

Manter a pele saudável e bonita durante a vida requer esforço. A rotina para isso não é complexa, mas precisa ser regular e iniciada o quanto antes. Para saber como cuidar da região e dar dicas para o dia a dia, conversamos com a dermatologista da clínica Dermasense Andréa Sampaio.

Leia também: Dicas para pele saudável

Coreanas têm 10 passos para tratar a pele e nós testamos todos
Tratamentos estéticos inovadores desembarcam em Brasília
Da mesa à make. Conheça 5 marcas nacionais de maquiagens orgânicas
A especialista diz que alguns hábitos começam na infância e devem ser levados até o final da vida. Ingerir bastante água, aplicar protetor solar com frequência, lavar o rosto de uma a duas vezes ao dia dependendo do tipo de pele, hidratar levemente e sempre remover a maquiagem de forma adequada são as “regras de ouro”.

Já outras dicas variam de acordo com a idade. “Recomendo ir à dermatologista de forma regular a partir dos 25 anos, e antes, se tiver alguma doença ou irritação na pele, acne, ressecamento ou lesão cutânea”, afirma.

Confira os cuidados necessários para a pele de cada idade:

AOS 20

No começo da vida adulta, a maior preocupação dos dermatologistas é controlar a oleosidade da pele. Para isso, são indicados sabonetes para secar um pouco a derme e evitar a acne.

“Também é quando começamos a prevenção contra rugas e sinais de expressão com produtos específicos para cada paciente e damos bastante destaque ao protetor solar”, conta Andréa.

AOS 30

Essa é a época das primeiras rugas e pequena sensação de flacidez da pele, causada pela menor produção de colágeno. “A partir dos 30 anos, podemos pensar em implementar produtos antienvelhecimento, com ácidos e bastante vitamina C, na rotina”, fala a dermatologista.

A lavagem e hidratação do rosto são avaliadas novamente, mas podem seguir iguais dependendo do tipo de pele.

AOS 40

Depois dos 30, a perda de colágeno e elastina é intensificada. O dano solar acumulado durante a vida começa a ficar mais evidente e os cuidados devem ser reforçados. Apesar de a pele estar mais madura, ela pode continuar oleosa e com partes secas.

“Aumentamos o uso dos cosméticos antienvelhecimentos, caprichamos no protetor solar e entram em cena produtos contra flacidez e que promovem firmeza”, explica Andréa. Para combater a secura, a dermatologista indica aplicar hidratantes leves, como em gel ou sérum, à noite.

A PARTIR DOS 50

Dos 50 anos em diante, a pele necessita de mais atenção. Para limpar o rosto, a recomendação de Andréa é que sejam usados produtos com pouca ação detergente. O protetor solar e a hidratação seguem as mesmas.

A dermatologista também indica ácidos clareadores potentes para tirar as manchas do rosto. Para os pacientes que buscam uma aparência revitalizada da pele, podem ser feitos peelings e bioestimuladores para aumentar o colágeno e aplicação de botox.

Saiba tudo sobre bichectomia: os prós, os contras e os possíveis riscos

Saiba tudo sobre bichectomia: os prós, os contras e os possíveis riscos

O EGO conversou com uma cirurgiã-plástica e uma cirurgiã-dentista para tirar todas as dúvidas sobre a cirurgia queridinha das famosas.
Priscila Bessa
Do EGO, no Rio
FACEBOOK
Débora Lyra e Fabiana Nogueira (Foto: Arquivo pessoal)
Débora Lyra e Fabiana Nogueira
(Foto: Arquivo pessoal)
Com um nome no mínimo diferente, a bichectomia, procedimento cirúrgico que ficou popular entre as celebridades que querem deixar o rosto mais fininho, tem ganho cada vez mais adeptos e despertado a curiosidade do público. Para esclarecer dúvidas sobre a novidade – que foi adotada por famosas internacionais, como Angelina Jolie e Kim Kardashian, e outros nomes nacionais como a ex-BBB Natalia Casassola e Ellen Cardoso, a Mulher Moranguinho, o EGO ouviu a cirurgiã-plástica Carolina Rebouças e a cirurgiã-dentista Fabiana Nogueira.

Leia também: Bichectomia recuperação

Fabiana diz que chega a realizar o procedimento até 20 vezes em um mesmo dia quando viaja pelo país para atender a clientela, que conta com artistas como a funkeira Marcelly, a apresentadora Adriana Bombom, o humorista Rodrigo Sant’Anna e a Miss Brasil 2010 Débora Lyra. A dentista explica que a finalidade original do procedimento era odontológica e só mais recentemente passou a ser feito com fins estéticos. “A principal indicação era para quem mordia a bochecha porque tinha o corredor bucal muito estreito. Então o trauma contínuo podia causar até um câncer. Essa cirurgia veio para poder remover a bola de bichar – que é uma bola de tecido adiposo – evitando o trauma da mordida”, conta ela, esclarecendo que a mudança dos padrões de beleza também influenciaram na procura pela cirurgia.

FAMOSAS QUE FIZERAM O PROCEDIMENTO

Saiba tudo sobre bichectomia: os prós, os contras e os possíveis riscos
Mulher Filé faz bichectomia: ‘Estava com o rosto parecendo uma abóbora’
Adriana Bombom faz bichectomia: ‘Retirei as gordurinhas’
Moranguinho se inspira em Angelina Jolie e opera para diminuir bochecha
Adélia, ex-BBB, mostra antes e depois de cirurgia para diminuir bochecha
Cristina Mortágua mostra rosto após cirurgia para diminuir bochechas
Funkeira Cariúcha faz procedimento estético para diminuir as bochechas
Amanda Gontijo faz cirurgia para diminuir bochechas: ‘Bem tranquila’
Ariadna fala sobre cirurgia nas bochechas: ‘Me incomodavam muito’
EGO NAS REDES SOCIAIS

Curta a nossa página
Siga o EGO
Veja o painel do EGO
Baixe o app do EGO
“Padrão de beleza hoje é o rosto mais fino”
“Antigamente o padrão de beleza era o rosto redondo e, ao mesmo tempo, começaram a perceber que com essa remoção o rosto afinava. Como o padrão de beleza hoje é o rosto mais fino, a cirurgia ganhou esse destaque pelo lado estético”, avalia ela. A profissional explica que todas as pessoas possuem a bola de bichar, porém, nem todo mundo se incomoda com a sua existência. “Você nasce com ela. Na infância, ela é importante para a sucção, para mamar, e depois que você cresce não tem problema nenhum remover. Então a pessoa faz uma avaliação para saber se no caso dela vale a pena fazer o procedimento. O tamanho dessa bola varia de pessoa para pessoa”, diz Fabiana, que defende a prática no consultório.

Rodrigo Sant’Anna e Fabiana Nogueira (Foto: Arquivo pessoal)
Rodrigo Sant’Anna e Fabiana Nogueira
(Foto: Arquivo pessoal)
“A diferença da cirurgia com um cirurgião plástico e com um dentista é que o dentista faz o procedimento em um consultório odontológico. Lá, o profissional tem tudo que precisa para a intervenção. É utilizada uma anestesia local, igual à usada para uma extração de dente. A incisão é de um centímetro e dou um pontinho depois para fechar. O pós-operatório é tranquilo, o paciente toma uma medicação por quatro dias e aplica bastante gelo para não inchar. Peço para não pegar sol durante sete dias e também dar uma pausa na academia nesse período. Quanto a alimentação, peço que evite alimentos muitos duros e para dar preferência a alimentos gelados. A recuperação é parecida com a de extração de um dente simples, não chega nem perto de uma extração de siso”, garante a profissional, acrescentando que o procedimento – que dura em média 30 minutos – custa em torno de R$5 mil.

“Pacientes comentam que sofriam bullying por ter bochechão”
O sucesso da bichectomia é tanto que ela calcula já ter feito o procedimento mais de 500 vezes, tendo começado a realizar a operação há um ano. “Muitos pacientes falam que não sabiam que existia e descobriram na internet. Comentam que sofriam bullying por ter bochechão. O resultado é sempre mais satisfatório do que o contrário, porque poucas pessoas têm a bola pequenininha e tem quem peça para tirar só uma parte dela. Isso é possível porque essa bola é uma gordura encapsulada”, afirma ela. É importante lembrar que, segundo a profissional, o procedimento é irreversível. “Uma vez removida é para sempre. E se ganhar peso, ela não vai voltar”, afirma. Uma dica de Fabiana para quem quer saber como ficará o resultado final é experimentar uma técnica de maquiagem marcando o contorno do rosto.

Médica: “Só faço em centro cirúrgico porque é mais seguro para o paciente”
A médica Carolina Rebouças concorda que a operação é um procedimento simples, porém, defende que deve ser feita em um centro cirúrgico. “A cirurgia é feita com anestesia local e faço com sedação, porque acredito que é mais confortável para o paciente, já que é feita por dentro da boca. Eu só faço em centro cirúrgico porque é mais seguro para o paciente, o ideal é ter um suporte de oxigênio e recursos para poder resolver qualquer complicação. Tudo é monitorado e conto com um anestesista”, afirma.

Carolina Rebouças (Foto: Divulgação/Cercon Comunicação)
Carolina Rebouças
(Foto: Divulgação/Cercon Comunicação)
Como é feita pela mucosa oral, Carolina diz que não fica nenhuma cicatriz aparente e reforça que com um pós-operatório correto dificilmente ocorrem complicações. “Peço para evitar nas primeiras 48 horas qualquer alimento com resíduos como farelos e grãos que possam ficar acumulando no local do ponto. Também peço para colocar um pouco de gelo nos primeiros dias. O resultado a gente já começa a ver com três semanas, mas o final é com seis meses, que é quando ocorre a recuperação total. Antes de operar fazemos apenas um pré-operatório comum em qualquer procedimento cirúrgico”, diz.

Pacientes magros têm maior garantia de satisfação
Questionada sobre as possíveis complicações, a médica enumera: “Apesar de ser uma cirurgia rápida, é um local nobre, próximo a muitas glândulas, nervos e artérias, que são estruturas importantes da face, então há o risco de lesões nessas regiões. Por isso a operação tem que ser feita por um profissional que tenha muito conhecimento da anatomia. Recebemos vários pacientes com complicações que chegam com inflamações, hematomas, porque o profissional não soube resolver uma complicação”.

A cirurgiã-plástica estima que o valor do procedimento varie entre R$6 mil e R$10 mil, mas frisa que isso pode variar muito por causa do valor da internação e das diferenças de preço em cada região do país. Carolina diz ainda que a procura pelo procecimento na maioria das vezes acontece por pacientes magros que têm o rosto arredondado. E dá a dica: “Pacientes acima do peso dificilmente conseguem um resultado mais satisfatório porque a diferença é muito discreta. É um procedimento que dá uma acentuada na região malar e mandibular, no contorno da face. Por isso, em pacientes acima do peso a garantia de satisfação é menor”.

Suplementação com biotina pode aumentar a produção de leite

Suplementação com biotina pode aumentar a produção de leite

A biotina é uma vitamina do complexo B, sintetizada pelos micro organismos do rúmen. Algumas pesquisas já demonstraram que a síntese de biotina (in vitro) diminui quando a proporção de concentrado na dieta aumenta. Em função do aumento de produtividade do rebanho, ou então por deficiências na qualidade das forragens, é comum o fornecimento de altas quantidades de concentrado para vacas leiteiras. Isto deve aumentar a probabilidade de resposta à suplementação com biotina.

Leia também: comprar Biotina

A biotina está envolvida com o metabolismo energético. Ela é um cofator essencial ao funcionamento de várias enzimas. Alguns microorganismos que degradam celulose também requerem biotina. Experimentos já demonstraram que a digestão da celulose (in vitro) pode ser aumentada com suplementação de biotina ao meio de cultura.

Outro papel da biotina é na queratinização e diferenciação das células epidérmicas. Estas funções são críticas para a correta formação estrutural do casco. Diversos estudos têm demonstrado melhoria na saúde dos cascos com a suplementação desta vitamina.

Um experimento realizado na Universidade Estadual de Ohio (EUA), testou o efeito da suplementação de dois níveis diferentes de biotina em vacas em início de lactação. Foram utilizadas 45 vacas e o experimento teve início 14 dias antes da data prevista para o parto e continuou até 100 dias em lactação. Os tratamentos consistiram de um controle (sem biotina), um tratamento com 10 e outro com 20 mg de biotina suplementar por dia. As vacas foram ordenhadas duas vezes ao dia e alimentadas individualmente uma vez ao dia.

Os resultados são bastante interessantes. A suplementação com biotina não teve efeito na ingestão de matéria seca (IMS), mas a produção de leite aumentou linearmente (P<0,05) com a suplementação com biotina. O tratamento não teve efeito na produção de leite corrigida para energia. As porcentagens de gordura e proteína verdadeira, bem como a produção de gordura, não foram afetadas significativamente pelos tratamentos, mas a suplementação com biotina aumentou linearmente (P<0,03) a produção de proteína verdadeira (tabela 1).

Tabela 1- Efeito do fornecimento diário de biotina na produção dos primeiros 100 dias em lactação

Também não houve efeito da suplementação na condição corporal dos animais ou em seu peso vivo.

Da mesma forma, as concentrações de glicose, insulina e NEFA (ácidos graxos não esterificados) no plasma não foram alteradas. Também, as porcentagens molares de acetato (A), propionato (P), e butirato, além da relação A:P ruminal não foram estatisticamente diferentes entre os tratamentos. As concentrações de biotina no plasma nos dias 1, 30, 60, e 100 aumentaram linearmente (P<0,01) conforme a biotina da dieta aumentou.

Os autores argumentam que outros experimentos já demonstraram aumento na produção de leite com a suplementação de biotina e que as razões deste aumento ainda não são compreendidas. Existem algumas hipóteses, dentre elas a de que a melhor saúde dos cascos permitiria melhor locomoção dos animais que, como conseqüência, aumentariam o consumo de matéria seca. Outra hipótese seria de uma mudança na partição de nutrientes, deslocando-os para a produção de leite, ou ainda um aumento da produção de glicose e maior digestão da celulose.

Avaliando as hipóteses acima mencionadas, a falta de efeito na ingestão de matéria seca, e a imediata resposta em produção sugerem que a melhor saúde do casco não foi a razão principal para o aumento da produção neste experimento. A mobilização de gordura corporal poderia fornecer energia extra para a produção, mas não foram observadas mudanças na condição e peso corporal, bem como nos ácidos graxos do plasma sangüíneo, o que sugere que, neste experimento estas também não seriam explicações razoáveis para a resposta em produção. A biotina também não teve efeito nas porcentagens molares de ácidos graxos voláteis (AGVs) sugerindo que a população bacteriana do rúmen não diferiu entre os tratamentos. Não foi medida a produção total de AGVs, portanto, a falta de efeito nas porcentagens dos AGVs não prova definitivamente uma possível alteração na digestão da celulose pelos tratamentos.

Os autores concluem que houve um aumento linear de produção com a suplementação com biotina, porém as causas desta resposta precisam ser melhor investigadas.

Comentário do autor: a biotina parece estar mostrando grande potencial como aditivo em dietas de animais em início de lactação, com grande suplementação de concentrados na dieta. Nas condições deste experimento bastaria avaliar seu custo diário em relação à resposta em leite, já que não ocorreram quaisquer outros tipos de alterações (consumo, condição corporal, etc…). Se adicionarmos a isto uma possível melhor saúde dos cascos, seu uso pode ser bastante vantajoso. A dificuldade estaria em sua aplicação que teria que ser feita através de suplementos vitamínicos especiais incorporados à dieta. Também é importante que se entenda melhor seu modo de ação para que se possa avaliar sob quais condições seu emprego é interessante.

Varizes: o que significam

Varizes: o que significam

Varizes são veias dilatadas que podem aparecer em diversas regiões do corpo. São facilmente observadas por baixo da pele, especialmente nas pernas, causando dor e desconforto. Muitos acham que é apenas um problema estético, mas, na verdade, elas indicam que algo de errado na circulação do sangue venoso pelo organismo.

As varizes nas pernas são as mais comuns, mas existem outros tipos:
Varizes pélvicas
Estão localizadas na região pélvica, ou seja, surgem ao redor do útero, trompas e ovários. Causam dor abdominal intensa na mulher durante e após as relações sexuais, sensação de peso na região íntima, aumento do fluxo menstrual e incontinência urinária.

Varizes esofágicas
Não costumam apresentar sintomas, mas podem levar a vômitos, sangue nas fezes, tontura e perda da consciência. Esse tipo de varizes normalmente acontece em função da cirrose hepática.

Leia também: Varicell preço

Esse tipo de varizes pode ser diagnosticado por endoscopia digestiva e exames de imagem, como tomografia computadorizada e ressonância magnética.

Sintomas
Sensação de peso e dores nas pernas;
Formigamentos;
Sensibilidade na região;
Manchas escuras na perna.
*É importante observar as características, assim como os sintomas associados para que a orientação do tratamento pelo médico seja a mais correta possível.

Causas
As causas podem ser de fatores genéticos e relacionados com o comportamento.

Os fatores de risco
Gravidez;
Sedentarismo;
Excesso de peso e obesidade;
Predisposição genética;
Idade (pessoas mais idosas);
Sexo feminino;
Uso de anticoncepcionais;
Passar muito tempo em pé;
Condições que aumentam a pressão no abdômen, tais como doenças do fígado, líquido no abdômen ou insuficiência cardíaca;
Fístulas arteriovenosas;
Passado de Trombose venosa profunda;
Menopausa.
Tratamento de varizes
Drenagem linfática;
Escleroterapia (aplicação de varizes);
Cirurgia (para varizes de grande calibre e com sintomas como dor, coceira e inchaço nas pernas que podem comprometer o movimento).
O médico especialista, depois de uma avaliação irá selecionar qual o melhor tratamento.

*As varizes que se desenvolvem durante a gravidez geralmente melhoram sem tratamento dentro de três a 12 meses após o parto.
*Meias de compressão também podem ser usadas para o controle das varizes, pois ajudam a direcionar o retorno do sangue venoso de volta ao coração.

Prevenção
Praticar exercícios;
Manter o peso saudável;
Comer um alto teor de fibras;
Reduzir o consumo de sal;
Elevar as pernas sempre que possível;
Evitar ficar muito tempo na mesma posição.

Na Policlínica Granato você encontra Angiologistas no Rio de Janeiro, Niterói e Nova Iguaçu prontos para atender você e dar todas as orientações.

 

Veja quais alimentos são indicados para repor o colágeno

Veja quais alimentos são indicados para repor o colágeno

Dieta adequada ajuda a retardar o envelhecimento
Genaro Joner / Agencia RBS
O colágeno representa cerca de 25% de toda proteína do organismo humano. Sua função é proporcionar sustentação às células, mantendo-as unidas. É encontrado na pele, nos ossos, nas cartilagens, nos ligamentos e nos tendões. Ele é produzido naturalmente no organismo, mas com o avançar da idade o corpo perde 1% de colágeno ao ano resultando no surgimento de rugas, flacidez e aumentando a fragilidade articular e óssea. Para amenizar essa perda, é importante investir em uma reposição por meio da alimentação.

Leia também: Skin renov é bom

De acordo com o nutricionista Gabriel Cairo Nunes, a ausência do colágeno pode ser notada a partir do surgimento de dores articulares, tendinites, fragilidade capilar, perda óssea, rugas precoces e unhas enfraquecidas.

– Tais sintomas denunciam uma alimentação deficiente em proteínas, vitaminas e minerais. E sem esses nutrientes é natural que ocorra um enfraquecimento muscular e um cansaço por qualquer esforço físico – explica.

As mulheres sofrem mais com a perda de colágeno, pois elas possuem uma quantidade menor dessa proteína no organismo, em comparação aos homens.

– Ao atingir a faixa etária dos 45 anos, a mulher sofre uma diminuição na quantidade de fibroblastos, as células responsáveis pela produção de colágeno, que ao lado de outra proteína, a elastina, sustenta a pele – destaca o nutricionista.

Leia também: Nutren Beauty bula

Além disso, existem outros fatores que contribuem e aceleram o desgaste da pele, entre eles: a exposição excessiva ao sol, o cigarro, a poluição, a herança genética, as alterações hormonais, a alimentação desequilibrada e o estresse.

Colágeno: em favor da beleza e da saúde

Uma alternativa simples, barata e eficaz para acentuar a produção de colágeno e retardar o processo de envelhecimento é manter uma alimentação balanceada.

– O ideal é optar por uma dieta rica em proteínas magras e ômega-3, para estimular a produção de colágeno, além de consumir alimentos que contenham vitamina C, vitamina E, cobre, selênio, zinco e silício – aconselha.

Para esclarecer quais são os alimentos que ajudam a repor o colágeno no organismo, o nutricionista Gabriel Cairo Nunes lista os mais indicados:

Carnes, ovos, peixes
São fontes de proteínas e de vitaminas B6 e B12. Além disso, são importantes para a flora intestinal agindo no metabolismo de carboidratos, lipídios e aminoácidos.

Feijão, brócolis e ervilha
É importante consumir folhas verde-escuras como espinafre e outros alimentos como lentilhas, grãos, gema de ovo, fígado bovino e laranja, pois são fontes de ácido fólico, que é um nutriente muito importante para síntese do RNA e DNA, sendo fundamental na replicação celular.

Cerejas, uvas, soja
Estimulam a renovação celular, pois contêm flavonoides, um potente antioxidante para neutralizar os radicais livres, que são responsáveis pelo envelhecimento celular.

Aveia e leguminosas
São alimentos ricos em silício, um mineral proveniente de vegetais, indicado para auxiliar na manutenção da rigidez celular. A aveia age sobre os músculos, tendões, cartilagens e articulações amenizando dores e outros problemas enfrentados devido à ausência de colágeno.

Vitamina C
Alimentos ricos em vitamina C facilitam a síntese do colágeno. Abuse das frutas cítricas como laranja, acerola, limão e abacaxi.

Frutas vermelhas
São ricas em cianidina e vitamina C, antioxidantes que combatem os radicais livres. Seu consumo favorece as paredes dos vasos sanguíneos da pele, tornando-a mais irrigada e oxigenada. Além disso, as frutas vermelhas previnem o envelhecimento precoce das células, o excesso de oleosidade e a acne.

Varizes: entenda o problema, veja causas e aprenda a tratar

Varizes: entenda o problema, veja causas e aprenda a tratar

O comum problema das varizes, veias dilatadas das pernas e pés, atingem 70% das pessoas com até 70 anos e, além de prejuízos estéticos, podem causar dor, desconforto, inchaço e demandar cirurgia. Por isso, fique atento aos sinais na pele e aprenda a cuidar deste quadro.

Veja também quais os exercícios físicos ajudam e quais não são recomendados para o tratamento e prevenção das varizes
Foto: Getty Images
O que é?
As varizes são aquelas veias que se dilatam e deixam de ser retas, ficando tortas e saltadas na pele. Segundo o secretário-geral da Sociedade Brasileira de Angeologia e de Cirurgia Vascular, Dr. Celso Bregalda Neves, “varizes são veias que nós vemos”. Ele destaca que o que é popularmente chamado de “varizes internas” não existe, as veias comprometidas que ficam mais profundas nos músculos são tratadas como outra condição venosa chamada de doença das veias profundas.

Os vasinhos se diferenciam das varizes apenas em calibre e posição, já que ficam na camada mais superficial da pele e tem 1 mm de diâmetro, enquanto as varizes apresentam 3mm. As causas e os tratamentos também são bem similares.

Conheça as causas
O principal fator é a predisposição familiar, ou seja, a doença é passada de geração em geração, caso pais, avós e tios apresentem os mesmo sintomas.

Em seguida, as mulheres são as mais prejudicadas. Segundo o Dr. Celso Bregalda, são registrados entre 2,5 e 3 casos de mulher com varizes para cada homem com a doença. O motivo são os hormônios femininos que diminuem a força das paredes das veias, deixando os vasos mais fracos. Por isso, reposição hormonal e métodos anticoncepcionais podem ajudar com que as varizes apareçam antes da hora. Pela mesma razão, durante a gravidez, as chances também crescem e, aumentam a cada nova gestação.

A idade é outro fator de risco. Varizes não são nada comuns em bebês e normalmente começam a aparecer na puberdade, quando os homens esticam no tamanho e, as mulheres, recebem maior carga de hormônio. Além disso, o colágeno das veias começa a diminuir com a idade, por isso elas tendem a dilatar mais facilmente.

Além destes fatores naturais, hábitos incorretos também são grandes motivos. Ficar muito tempo na mesma posição, seja em pé ou sentado, prejudica a circulação do sangue nos membros inferiores.

Além da obesidade e sedentarismo, a longo prazo, pessoas com intestino preguiçoso, que por vários anos, fazem força para evacuar acabam pressionando as veias nas pernas, aumentando as chances das varizes aparecerem.

Salto alto, piora?
“Existe um certo conflito na literatura médica sobre o uso do salto alto”, comentou o Dr. Celso Bregalda . Ele explica que por causa do salto alto, o sangue pode ficar mais facilmente preso na região da panturrilha pela dificuldade que a posição da babata da perna causa. No entanto, o pé reto também exige mais esforço dos músculos para bombearem o sangue de volta ao coração. “O ideal é um saltinho pequeno, com um ou dois centímetros, para que a perna fique em posição confortável”, explicou.

“A panturrilha é o coração da perna”. Cuide bem dela!
O Dr. Celso Bregalda explica que, depois de bombeado, o sangue precisa voltar para o coração e, para isso, depende da panturrilha. “É preciso fazer o ciclo completo da movimentação do sangue e, quando as veias das pernas estão comprimidas e os membros parados, o sangue fica represado nas batatas das pernas, o que prejudica a circulação e, entre outros fatores, causa varizes. A panturrilha é o coração da perna”, explicou.

Leia também: comprar Varicell

Por isso, durante o período de trabalho, é preciso ter cuidados com os hábitos. Para quem fica o dia todo sentado, por exemplo, os males serão maiores do que para um carteiro que, apesar de ficar em pé boa parte do tempo, ele apresenta menos problemas já que está se movimentando e não parado na mesma posição. “O importante é o movimento, não a posição”, explica o Dr. Celso Bregalda.

Como melhorar a circulação do sangue nas pernas
Levantar a cada uma ou duas horas para movimentar os músculos é a melhor alternativa. Mas fazer exercícios com as pernas, mesmo sentado, também ajuda. Uma das dicas é levantar e abaixar os pés, como se estivesse acelerando um carro, por cinco vezes a cada meia hora.

Outra maneira, menos agradável e menos estética, é o uso das meias elásticas de compressão graduada. Elas fazem pressão nos pés e tornozelo ajudando o sangue a subir em direção ao coração. Além do clássico tamanho 3×4, que vai até abaixo do joelho, há ainda a 7×8, até a coxa e a meia-calça convencional.

Atualmente, as marcas investem em cores como preto, branco e com brilho para sair do bege. Tecidos mais leves também têm sido experimentados para diminuir o desconforto. “Além de não ser muito estético, no calor também esquenta, mas é muito recomendado o uso da meia”, informou o Dr. Celso Bregalda.

Como tratar?
Os vasinhos – manchinhas nas pernas que parecem riscos de caneta – podem ser tratados com aplicação, nas quais substâncias são injetadas com agulha e causam a inflamação da veia, sendo depois absorvida pelo organismo. O laser também é outra opção, procedimento no qual o sangue da veia é esquentado até queimar o vaso. No entanto, ao contrário do que se pensa, lazer dói tanto quanto as aplicações com agulha e, cada nova emissão de luz, dá a sensação de uma picada de agulha.

No caso das varizes, o método mais comum é a retirada das veias dilatadas com procedimento cirúrgico. “Este método ainda tem o melhor custo benefício estético”, informou o Dr. Celso Bregalda.

A aplicação de espumas segue o mesmo princípio da aplicação dos vasinhos. No entanto, uma desvantagem é a possibilidade de ficar manchas na pele, já que como a extensão da veia danificada é extensa, pode acontecer de o corpo não conseguir absorvê-la por completo.

Ao contrário do laser nos vasinhos (que é um disparo), no caso das varizes, é injetado uma fibra que vai queimando as veias internamente. A desvantagem também é a possibilidade de ficarem manchas.

Há também o método da radiofrequência, um instrumento que esquenta a ponta e queima a veia por dentro da pele, diminuindo a extensão e podendo eliminar o vaso comprometido.

Saiba como escolher o exercício perfeito para evitar e tratar as varizes
Todos os tipos de atividades físicas são benéficas, no entanto, para ter melhores resultados no tratamento e prevenção das varizes é preciso apenas ter atenção aos resultados e escolher a melhor opção.

Segundo a Dra. Tais Tinucci, nefrologista e professora na Escola de Educação Física e Esporte da USP, devem ser priorizados os exercícios aeróbicos e evitados aqueles que precisam de grande explosão muscular. “É comprovado que o exercício aeróbico como caminhada, bicicleta e natação, tem aspecto preventivo e de melhora das varizes porque melhora a função da panturrilha”, explicou.

“Mas os exercícios de força que aumentam a pressão dentro da cavidade abdominal e exigem prender a respiração podem ter um caráter de piora para quem tem predisposição ao problema”, informou a Dra. Tais. Segundo ela, levantamento de peso e musculação, por exemplo, não são totalmente contraindicados, mas podem atrapalhar o quadro.

Fique atento às complicações
As varizes mais simples e fáceis de serem tratadas são os vasinhos. Com a complicação da situação das veias, pode haver inchaço das pernas e pés, dor e desconforto. Caso esta situação se prolongue por muitos anos, pode aparecer manchas na pele, chamadas de dermatite ocre e que acontece entre 2% e 3% dos pacientes.

Em seguida, a forma mais grave de varizes é quando surgem úlceras, que são feridas na pele. Comum em pessoas de idade mais avançada, este tipo demanda um tratamento mais difícil para eliminar a dor e as possíveis infecções.

Como prevenir
A melhor maneira de prevenir os vasinhos e varizes é adotar um estilo de vida saudável. Evitar o excesso de peso, fazer exercício aeróbico com frequência , ter uma alimentação balanceada para evitar a síndrome do intestino preguiçoso, manter a hidratação e usar a meia elástica.

Anti flacidez: conheça 8 firmadores mais populares

Anti flacidez: conheça 8 firmadores mais populares

Creme, gel, cápsula e pó: confira lista com produtos para acabar com a flacidez do corpo

A flacidez da pele causa incômodo estético para muitas pessoas. Selecionamos uma lista com as opções de produtos anti flacidez mais populares disponíveis na Netfarma. Confira a lista abaixo:

Creme Firmador Anti-Flacidez Roc Pro-Define

Creme Firmador Anti-Flacidez Roc Pro-Define – foto: divulgação
O Firmador Anti-Flacidez Roc Pro-Define, com sua tecnologia de dupla ação, firma a pele e redefine os contornos faciais prevenindo a flacidez. O Extrato de Bugrane presente no produto estimula a produção de elastina para ajudar a manter o efeito lifting de forma durável. Sua textura macia e aveludada penetra imediatamente na pele, e sua fórmula nutritiva ajuda a reparar a pele diariamente.

Confira o preço do Firmador Anti-Flacidez Roc Pro-Define

Colágeno Stem 1000mg

Colágeno Stem 1000mg – foto: divulgação
As cápsulas de Colágeno Stem auxiliam na recuperação das fibras colágenas, contribuindo para a prevenção da flacidez. Proteína de sustentação intercelular da pele, responsável por sua firmeza e elasticidade. Devem ser usados de 1 a 2 comprimidos ao dia, preferencialmente antes das refeições.

Leia também: Creme firmador funciona

Confira o preço do Colágeno Stem

Leia também: Skin renov funciona

Loção Hidratante Nivea Firmador Q10 Energy

Loção Hidratante Nivea Firmador Q10 Energy – foto: divulgação
A nova fórmula da loção hidratante Nivea Firmador Q10 Energy , além de deixar sua pele mais firme em apenas duas semanas, também hidrata por mais de 24 horas. Sua fórmula de rápida absorção conta com a exclusiva combinação da coenzima Q10 e da Creatina que: fortalece a pele e ajuda a prevenir a flacidez, estimula a renovação celular e melhora visivelmente a firmeza da pele.

Confira o preço da loção hidratante Nivea Firmador Q10 Energy

Hidratante Monange S.O.S Firmador

Hidratante Monange S.O.S Firmador – foto: divulgação
O hidratante Monange S.O.S Firmador contém uma combinação de ativos e agentes hidratantes que aderem à pele restaurando os níveis de colágeno e elastina, além de estimular sua produção natural. O resultado é uma pele firme, hidratada e com elasticidade em até duas semanas. Combate a flacidez ocasionada pela perda de colágeno e elastina.

Confira o preço do hidratante Monange S.O.S Firmado

Colágeno Stem Woman em Pó

Colágeno Stem Woman em Pó – foto: divulgação
O Colágeno Woman Stem possui em sua formulação colágeno hidrolisado, guaraná do Amazonas e ácido fólico adicionado de vitaminas A, C e E, biotina e mineral cromo. O colágeno é a principal proteína de sustentação intercelular da pele, responsável por sua firmeza e elasticidade. Fortalece os tecidos, promove elasticidade e resistência à pele, aos músculos, tendões, meniscos, ligamentos, veias, vasos e artérias.

Confira o preço do Colágeno Woman Stem em pó

Gel-Creme Nivea Q10 Bye-Bye Celulite Redutor e Firmador

Gel-Creme Nivea Q10 Bye-Bye Celulite Redutor e Firmador – foto: divulgação
O NIVEA Bye Bye Celulite Firmador Q10 hidrata a pele, firma e reduz visivelmente a aparência da celulite em 3 semanas. Sua fórmula Gel-Creme contém a Coenzima Q10, que estimula a renovação celular e a combinação de L-Carnitina e Extrato de Lótus, que transforma gordura localizada em energia, ajudando a reduzir a gordura localizada.

Confira o preço do Gel-Creme Nivea Q10 Bye-Bye Celulite Redutor e Firmador

Fascia Peptideos de Colágeno

Fascia Peptideos de Colágeno – foto: divulgação
O Fascia Peptideos Colágeno são sachês com colágeno em pó. Seus ativos auxiliam a recuperar a elasticidade e a firmeza da pele, que depois dos 30 anos de idade tem sua produção natural do organismo reduzida. Fascia ajuda a recuperar a aparência geral da pele, eliminando as micro-rugas, prevenindo a formação de rugas maiores.

Confira o preço dos sachês de Fascia Peptideos Colágeno

Pó a Base de Colageno e Chá de Hibisco Eximia Firmalize

Pó a Base de Colageno e Chá de Hibisco Eximia Firmalize – foto: divulgação
O pó Exímia Firmalize é o único nutricosmético que possui um complexo exclusivo e eficaz no tratamento da flacidez. O produto tem sua ação focada em corrigir a flacidez da pele através do complexo HPEPT-C, que com 18 aminoácidos possui alta capacidade de absorção pelo organismo agindo diretamente sobre a flacidez, pois possui potente ação antioxidante associada à reposição das fibras de colágeno e elastina, além de possui, em sua fórmula, Vitamina C.

 

5 exercícios faciais para prevenir rugas e marcas de expressão

5 exercícios faciais para prevenir rugas e marcas de expressão

5 exercícios faciais para prevenir rugas e marcas de expressão
Confira 5 movimentos que trabalham a musculatura do rosto e previnem rugas e marcas de expressão

+ ROSTO:
Aprenda combater o envelhecimento da pele
5 passos para fazer uma máscara firmadora em casa
Saiba qual é o seu tipo de olheiras e como tratá-las
Saiba como escolher o tônico ideal para a sua pele
Trabalhar a musculatura do rosto com exercícios faciais ajuda a prevenir rugas e marcas de expressão. Segundo a terapeuta facial Bartira Bravo (SP), a ginástica para o rosto pode ser feita a partir dos 25 anos, três vezes por semana. “Se a pessoa tem mais de 30 anos e já apresenta flacidez e marcas de expressão, o ideal é realizá-la todos os dias”, ensina.

Leia também: Creme para rugas preço

Os resultados começam a aparecer em um mês. “A pele fica mais saudável”, diz Bartira que garante efeitos visíveis em dois meses. “Há um levantamento da linha da sobrancelha, maior nitidez do contorno facial e o pescoço fica mais tonificado”, finaliza. Antes de começar, tome alguns cuidados:

– Limpe e tonifique a pele.

-Passe um hidratante (menos produtos que promovem lifting imediato para não marcar a pele).

– Faça os movimentos devagar, na frente do espelho, para observar e corrigir possíveis erros.

Leia também: Skin renov Anvisa

Diferenças entre os tipos de colágeno e seus benefícios

Diferenças entre os tipos de colágeno e seus benefícios

O colágeno é conhecido por ser uma proteína abundante no corpo de mamíferos, presente nos músculos, ossos, cartilagens, unhas e cabelos.

Leia também: o que é Colágeno tipo 3 e 1

Ele é responsável por proporcionar ao corpo características como elasticidade e firmeza. O que muitos não sabem é que existem diferentes tipos de colágeno. Vamos entender melhor as diferenças entre eles, e seus principais benefícios:

Tipo I: é o mais abundante no corpo, formando feixes e fibras que estruturam os órgãos. Está presente em cartilagens fibrosas, ossos, ligamentos, peles e tendões. Ele pode ser reposto através da ingestão de alimentos como carnes, ovos e legumes.

Leia também: Skin renov reclame aqui

Tipo II: encontrado em menor quantidade no corpo, está presente nos olhos e nas cartilagens, funcionando como um controlador da quantidade de água existente nas células. Sua reposição é indicada a pessoas que sofrem com desgaste dessas regiões, como esportistas, por exemplo, ou pessoas que sofreram algum tipo de lesão ou apresentam degeneração nas cartilagens.

Leia também: o que é Colágeno tipo 3 e 1

Desnaturado: o colágeno desnaturado é aquele que sofreu processos químicos reversíveis e teve sua forma tridimensional quebrada, sem que ele perdesse suas estruturas primárias. É encontrado em alimentos como a gelatina.

Hidrolisado: o colágeno hidrolisado é o tipo que passou por um processo químico que o quebrou em partículas menores, o que facilita sua absorção pelo corpo. O processo ao qual o colágeno passa, chamado hidrólise, é químico e enzimático.