VOCÊ SABE A IMPORTÂNCIA DE FAZER LIMPEZA DE PELE PERIODICAMENTE?

VOCÊ SABE A IMPORTÂNCIA DE FAZER LIMPEZA DE PELE PERIODICAMENTE?

Muita gente acha que a limpeza de pele serve apenas para nos livrar dos indesejáveis cravos. Mas, na verdade, é muito mais que isso!

A sua pele, principalmente a do rosto, está sempre exposta a diversos fatores que influenciam a sua saúde, como o estresse, alimentação, variação hormonal, além de fatores externos como a incidência solar, poluição, resíduos e, no caso das mulheres, a tão indispensável maquiagem.

imagem-limpeza-de-peleCom isso, a tendência é a estimulação da produção de glândulas sebáceas, o que resulta no aspecto oleoso da pele além de promoverem a obstrução dos poros, causando acnes e, em alguns casos, até inflamações.

Os cuidados diários como a limpeza com sabonetes específicos ou adstringentes é muito importante, mas de tempos em tempos é necessária uma limpeza mais profunda, com produtos que possuam os princípios ativos necessários para cada tipo de pele. Nesses momentos é que há a necessidade da presença de uma profissional especialista para uma avaliação correta da pele.

Leia também: limpeza de pele caseira

A limpeza de pele feita regularmente ajuda na diminuição do excesso de oleosidade, pois remove as células mortas que se acumulam na camada superficial da pele, restaura e equilibra o Ph da epiderme, que melhora o tônus, deixando-a mais firme e com mais elasticidade, previne o envelhecimento, além de proporcionar uma aparência sempre limpa, hidratada, saudável e jovem. A renovação celular é estimulada constantemente, resultando em uma pele mais lisa e livre de manchas.

A rotina de cuidados com o rosto, como a higienização e esfoliação é muito importante e ajuda a manter os benefícios da limpeza profunda por mais tempo.limpeza homem

É claro que a periodicidade é particular, mas em média, como a renovação da pele se dá a cada 30 ou 40 dias, recomenda-se que esse seja o intervalo entre as sessões. Mas lembre-se, isso é uma média, nada como a avaliação de uma profissional para orientar corretamente os cuidados e intervalos para o seu caso especificamente.

O procedimento é indicado para homens e mulheres e também para todos os tipos de pele. Seu rosto é seu cartão de visita. Uma pele bem cuidada é fundamental para nos sentirmos bem, seguros e confiantes.

Pomadas para os 7 problemas de pele mais comuns

Pomadas para os 7 problemas de pele mais comuns

Problemas de pele como assaduras, sarnas, dermatite e psoríase normalmente são tratadas com o uso de cremes e pomadas que devem ser aplicados diretamente no local afetado.

Em geral, esses produtos têm propriedades anti-inflamatórias e que estimulam a cicatrização da pele, ajudando também a aliviar alguns sintomas como coceira e vermelhidão. O tipo de produto e a duração do tratamento depende da causa do problema, devendo ser orientado pelo dermatologista.

1. Assaduras de bebê
As assaduras são problemas de pele comuns nos bebês devido ao uso constante de fraldas e do contato da pele com a urina e as fezes, e seus sintomas normalmente são pele vermelha, quente, dolorida e com bolinhas.

O que fazer: Utilizar pomadas como Bepantol, Hipoglós ou Dermodex, que formam uma camada protetora na pele e estimulam a cicatrização. Ao trocar a fralda, é importante limpar toda a pomada que ainda estiver na pele e reaplicar o produto novamente. Veja outros exemplos aqui.

Leia também: Problemas de pele

2. Sarna
A sarna, também chamada de escabiose, é caracterizada pelo aparecimento de manchas vermelhas na pele e coceira, que aumenta principalmente à noite.

O que fazer: Deve-se aplicar pomadas ou cremes contendo permetrina, peróxido de benzoíla ou ivermectina em todo o corpo, como o Sarnilab, Acarsan e Benzotisan, de acordo com orientação médica. Esses medicamentos normalmente são aplicados durante 3 dias, dando então um intervalo de 7 dias e depois reiniciar o uso por mais 3 dias. Veja mais em: Remédio para Sarna Humana.

Pomadas para os 7 problemas de pele mais comuns
3. Queimadura
Todo tipo de queimadura precisa inicialmente ser tratada com o uso de pomadas, que podem ser eficientes para cicatrizar a pele e evitar cicatrizes nos casos de queimaduras de 1º grau, como as causadas pelo sol ou por água ou objetos quentes, desde que não cause a formação de bolhas.

O que fazer: Aplicar pomadas como Nebacetin, Esperson e Dermazine​ diariamente na pele para hidratar os tecidos e reduzir a inflamação, disfarçando a cicatriz. Veja mais em Como tratar a cicatriz de queimadura.

4. Manchas na pele
Manchas de pele normalmente são causadas pela idade, excesso de sol, uso de produtos químicos, cicatrizes de doenças ou queimaduras, sendo normalmente de difícil tratamento.

O que fazer: Pomadas como Dexpantenol, Hipoglós e Minâncora ajudam a clarear manchas nas axilas e virilhas. Para manchas na pele causadas pelo sol, pode-se usar produtos como Triderm e Melani D. Veja outras formas de clarear a pele.

5. Micose
A micose é uma doença causada por fungos que podem afetar a pele, as unhas ou o couro cabeludo, causando coceira e manchas.

O que fazer: Aplicar pomadas ou loções em spray no local afetado durante 3 a 4 semanas, segundo orientação médica. Alguns exemplos de produtos utilizados são Cetoconazol, Miconazol e Naftifina. Veja mais em Tratamento para micose.

6. Dermatite atópica
A dermatite atópica é uma inflamação da pele que pode surgir em qualquer idade, causando sintomas como inchaço, vermelhidão, coceira e descamação.

O que fazer: Esta doença não tem cura, mas pode ser controlada com o uso de pomadas e cremes corticoides e que estimulam a cicatrização prescritos pelo dermatologista, como Betametasona, Dexametasona e Tacrolimos. Veja como é feito o tratamento completo.

7. Psoríase
A psoríase provoca o aparecimento de feridas, coceira, descamação e, nos casos mais graves, surgem placas avermelhadas na pele. Esta doença não tem uma causa específica e não há cura, apenas controle dos sintomas.

O que fazer: O tratamento da psoríase inclui o uso de cremes hidratantes e pomadas anti-inflamatórias, que também diminuem a coceira e estimulam a cicatrização, como Antralina e Daivonex. Saiba como é feito o tratamento da psoríase.

É importante lembrar que qualquer problema de pele deve ser tratado com a orientação do dermatologista, pois os produtos podem provocar efeitos colaterais, alergias ou causar manchas quando são usados de forma errada.

7 formas de acabar com a flacidez em todo corpo

7 formas de acabar com a flacidez em todo corpo

Para acabar com a flacidez de vários locais do corpo é recomendado investir em alimentos ricos em proteína e colágeno, além de praticar atividades físicas, não fumar e manter o peso estável, porque estes hábitos ajudam na formação do músculo e proporcionam firmeza à pele.

Também existem tratamentos estéticos, com uso de cremes e fisioterapia dermato funcional que ajudam neste processo, e podem promover bons resultados.

Assim, algumas dicas importantes para o tratamento da flacidez são:

1. Aumentar a ingestão de água
Uma hidratação adequada da pele, ajuda a manter a sua elasticidade, pois renova as fibras de colágeno, o que é importante para mantê-la firme e tonificada. Além disto, a água melhora a circulação e impede o inchaço causado pela retenção de líquidos.

7 formas de acabar com a flacidez em todo corpo
2. Consumir alimentos ricos em proteínas e colágeno
A proteína encontrada em carnes magras, grãos, ovos, leite e derivados é fundamental na manutenção dos músculos que ajudam a preencher a pele. Além disto, apostar em uma alimentação rica em colágeno, presente na laranja, limão, kiwi, tangerina entre outras frutas cítricas é importante, porque ajuda a manter a firmeza da pele.

Os suplementos à base de colágenos, comprados em lojas de produtos naturais, também podem ser uma boa forma de aumentar a ingesta desta substância ao longo do dia.

Leia também: Flacidez

Além disto, os vegetais, chá verde e frutos vermelhos são ricos em antioxidantes, por isso são também importantes para evitar a flacidez da pele, já que estas substâncias combatem o envelhecimento precoce.

Veja a lista de alimentos para diminuir a flacidez e ter uma pele perfeita.

3. Praticar exercícios físicos
Praticar atividades físicas, principalmente a musculação, tira a flacidez pois fortalece e aumenta as fibras musculares e tonifica a pele. Além disto, os músculos que se ganha na musculação substitui a gordura, que é mole e deixa locais do corpo como, abdome, braços e coxas mais flácidos.

4. Parar de fumar
O cigarro prejudica a circulação de sangue pelo corpo, além de ter substâncias que aceleram o envelhecimento dos tecidos, por isto, deve-se evitar o hábito de fumar ou viver em ambientes com fumaça de cigarro para se conseguir resolver a flacidez.

5. Manter o peso estável
O efeito sanfona, que acontece quando se perde peso e engorda com frequência, faz com as fibras elásticas que formam a pele se rompam, o que causa flacidez e estrias. Assim, é importante, ao emagrecer, manter os hábitos saudáveis para que o peso fique estável e não prejudique a pele.

6. Usar cremes
Aplicar diariamente, nos locais com maior flacidez, cremes para a pele à base de silício ou colágeno, podem trazer bons resultados. Confira quais são os melhores cremes para diminuir a flacidez.

Também existem cremes naturais, que podem ser feitos em casa, como os a base de ovos, mel, frutas e farinha de trigo, por exemplo, que ajudam a tonificar a pele. Aprenda a receita de um ótimo creme caseiro para a flacidez.

7. Fazer tratamentos estéticos
Tratamentos realizados na fisioterapia dermato funcional, como o uso de aparelhos de radiofrequência, carboxiterapia ou crioterapia, por exemplo, são estratégias utilizadas para acabar com a flacidez, e têm melhores resultados com a realização de atividade física e alimentação equilibrada.

As sessões de radiofrequências vão ajudar na formação de novas de fibras de colágeno que confere sustentação à pele e vai contrair as fibras de colágeno existente, o que confere ótimos resultados, principalmente, na flacidez abdominal, que costuma acontecer após engravidar.

Entretanto, é preciso levar em consideração que a flacidez também é uma característica genética e se há outras mulheres na família, como mãe, avó ou irmãs, que tenham a pele muito flácida, os resultados poderão ficar comprometidos.

Dicas de “skincare” para manter a pele saudável em todas as idades

Dicas de “skincare” para manter a pele saudável em todas as idades

Dermatologista responde quando é o ideal para começar a ir a especialistas e quais produtos são indicados dependendo da fase da vida

Manter a pele saudável e bonita durante a vida requer esforço. A rotina para isso não é complexa, mas precisa ser regular e iniciada o quanto antes. Para saber como cuidar da região e dar dicas para o dia a dia, conversamos com a dermatologista da clínica Dermasense Andréa Sampaio.

Leia também: Dicas para pele saudável

Coreanas têm 10 passos para tratar a pele e nós testamos todos
Tratamentos estéticos inovadores desembarcam em Brasília
Da mesa à make. Conheça 5 marcas nacionais de maquiagens orgânicas
A especialista diz que alguns hábitos começam na infância e devem ser levados até o final da vida. Ingerir bastante água, aplicar protetor solar com frequência, lavar o rosto de uma a duas vezes ao dia dependendo do tipo de pele, hidratar levemente e sempre remover a maquiagem de forma adequada são as “regras de ouro”.

Já outras dicas variam de acordo com a idade. “Recomendo ir à dermatologista de forma regular a partir dos 25 anos, e antes, se tiver alguma doença ou irritação na pele, acne, ressecamento ou lesão cutânea”, afirma.

Confira os cuidados necessários para a pele de cada idade:

AOS 20

No começo da vida adulta, a maior preocupação dos dermatologistas é controlar a oleosidade da pele. Para isso, são indicados sabonetes para secar um pouco a derme e evitar a acne.

“Também é quando começamos a prevenção contra rugas e sinais de expressão com produtos específicos para cada paciente e damos bastante destaque ao protetor solar”, conta Andréa.

AOS 30

Essa é a época das primeiras rugas e pequena sensação de flacidez da pele, causada pela menor produção de colágeno. “A partir dos 30 anos, podemos pensar em implementar produtos antienvelhecimento, com ácidos e bastante vitamina C, na rotina”, fala a dermatologista.

A lavagem e hidratação do rosto são avaliadas novamente, mas podem seguir iguais dependendo do tipo de pele.

AOS 40

Depois dos 30, a perda de colágeno e elastina é intensificada. O dano solar acumulado durante a vida começa a ficar mais evidente e os cuidados devem ser reforçados. Apesar de a pele estar mais madura, ela pode continuar oleosa e com partes secas.

“Aumentamos o uso dos cosméticos antienvelhecimentos, caprichamos no protetor solar e entram em cena produtos contra flacidez e que promovem firmeza”, explica Andréa. Para combater a secura, a dermatologista indica aplicar hidratantes leves, como em gel ou sérum, à noite.

A PARTIR DOS 50

Dos 50 anos em diante, a pele necessita de mais atenção. Para limpar o rosto, a recomendação de Andréa é que sejam usados produtos com pouca ação detergente. O protetor solar e a hidratação seguem as mesmas.

A dermatologista também indica ácidos clareadores potentes para tirar as manchas do rosto. Para os pacientes que buscam uma aparência revitalizada da pele, podem ser feitos peelings e bioestimuladores para aumentar o colágeno e aplicação de botox.

Saiba tudo sobre bichectomia: os prós, os contras e os possíveis riscos

Saiba tudo sobre bichectomia: os prós, os contras e os possíveis riscos

O EGO conversou com uma cirurgiã-plástica e uma cirurgiã-dentista para tirar todas as dúvidas sobre a cirurgia queridinha das famosas.
Priscila Bessa
Do EGO, no Rio
FACEBOOK
Débora Lyra e Fabiana Nogueira (Foto: Arquivo pessoal)
Débora Lyra e Fabiana Nogueira
(Foto: Arquivo pessoal)
Com um nome no mínimo diferente, a bichectomia, procedimento cirúrgico que ficou popular entre as celebridades que querem deixar o rosto mais fininho, tem ganho cada vez mais adeptos e despertado a curiosidade do público. Para esclarecer dúvidas sobre a novidade – que foi adotada por famosas internacionais, como Angelina Jolie e Kim Kardashian, e outros nomes nacionais como a ex-BBB Natalia Casassola e Ellen Cardoso, a Mulher Moranguinho, o EGO ouviu a cirurgiã-plástica Carolina Rebouças e a cirurgiã-dentista Fabiana Nogueira.

Leia também: Bichectomia recuperação

Fabiana diz que chega a realizar o procedimento até 20 vezes em um mesmo dia quando viaja pelo país para atender a clientela, que conta com artistas como a funkeira Marcelly, a apresentadora Adriana Bombom, o humorista Rodrigo Sant’Anna e a Miss Brasil 2010 Débora Lyra. A dentista explica que a finalidade original do procedimento era odontológica e só mais recentemente passou a ser feito com fins estéticos. “A principal indicação era para quem mordia a bochecha porque tinha o corredor bucal muito estreito. Então o trauma contínuo podia causar até um câncer. Essa cirurgia veio para poder remover a bola de bichar – que é uma bola de tecido adiposo – evitando o trauma da mordida”, conta ela, esclarecendo que a mudança dos padrões de beleza também influenciaram na procura pela cirurgia.

FAMOSAS QUE FIZERAM O PROCEDIMENTO

Saiba tudo sobre bichectomia: os prós, os contras e os possíveis riscos
Mulher Filé faz bichectomia: ‘Estava com o rosto parecendo uma abóbora’
Adriana Bombom faz bichectomia: ‘Retirei as gordurinhas’
Moranguinho se inspira em Angelina Jolie e opera para diminuir bochecha
Adélia, ex-BBB, mostra antes e depois de cirurgia para diminuir bochecha
Cristina Mortágua mostra rosto após cirurgia para diminuir bochechas
Funkeira Cariúcha faz procedimento estético para diminuir as bochechas
Amanda Gontijo faz cirurgia para diminuir bochechas: ‘Bem tranquila’
Ariadna fala sobre cirurgia nas bochechas: ‘Me incomodavam muito’
EGO NAS REDES SOCIAIS

Curta a nossa página
Siga o EGO
Veja o painel do EGO
Baixe o app do EGO
“Padrão de beleza hoje é o rosto mais fino”
“Antigamente o padrão de beleza era o rosto redondo e, ao mesmo tempo, começaram a perceber que com essa remoção o rosto afinava. Como o padrão de beleza hoje é o rosto mais fino, a cirurgia ganhou esse destaque pelo lado estético”, avalia ela. A profissional explica que todas as pessoas possuem a bola de bichar, porém, nem todo mundo se incomoda com a sua existência. “Você nasce com ela. Na infância, ela é importante para a sucção, para mamar, e depois que você cresce não tem problema nenhum remover. Então a pessoa faz uma avaliação para saber se no caso dela vale a pena fazer o procedimento. O tamanho dessa bola varia de pessoa para pessoa”, diz Fabiana, que defende a prática no consultório.

Rodrigo Sant’Anna e Fabiana Nogueira (Foto: Arquivo pessoal)
Rodrigo Sant’Anna e Fabiana Nogueira
(Foto: Arquivo pessoal)
“A diferença da cirurgia com um cirurgião plástico e com um dentista é que o dentista faz o procedimento em um consultório odontológico. Lá, o profissional tem tudo que precisa para a intervenção. É utilizada uma anestesia local, igual à usada para uma extração de dente. A incisão é de um centímetro e dou um pontinho depois para fechar. O pós-operatório é tranquilo, o paciente toma uma medicação por quatro dias e aplica bastante gelo para não inchar. Peço para não pegar sol durante sete dias e também dar uma pausa na academia nesse período. Quanto a alimentação, peço que evite alimentos muitos duros e para dar preferência a alimentos gelados. A recuperação é parecida com a de extração de um dente simples, não chega nem perto de uma extração de siso”, garante a profissional, acrescentando que o procedimento – que dura em média 30 minutos – custa em torno de R$5 mil.

“Pacientes comentam que sofriam bullying por ter bochechão”
O sucesso da bichectomia é tanto que ela calcula já ter feito o procedimento mais de 500 vezes, tendo começado a realizar a operação há um ano. “Muitos pacientes falam que não sabiam que existia e descobriram na internet. Comentam que sofriam bullying por ter bochechão. O resultado é sempre mais satisfatório do que o contrário, porque poucas pessoas têm a bola pequenininha e tem quem peça para tirar só uma parte dela. Isso é possível porque essa bola é uma gordura encapsulada”, afirma ela. É importante lembrar que, segundo a profissional, o procedimento é irreversível. “Uma vez removida é para sempre. E se ganhar peso, ela não vai voltar”, afirma. Uma dica de Fabiana para quem quer saber como ficará o resultado final é experimentar uma técnica de maquiagem marcando o contorno do rosto.

Médica: “Só faço em centro cirúrgico porque é mais seguro para o paciente”
A médica Carolina Rebouças concorda que a operação é um procedimento simples, porém, defende que deve ser feita em um centro cirúrgico. “A cirurgia é feita com anestesia local e faço com sedação, porque acredito que é mais confortável para o paciente, já que é feita por dentro da boca. Eu só faço em centro cirúrgico porque é mais seguro para o paciente, o ideal é ter um suporte de oxigênio e recursos para poder resolver qualquer complicação. Tudo é monitorado e conto com um anestesista”, afirma.

Carolina Rebouças (Foto: Divulgação/Cercon Comunicação)
Carolina Rebouças
(Foto: Divulgação/Cercon Comunicação)
Como é feita pela mucosa oral, Carolina diz que não fica nenhuma cicatriz aparente e reforça que com um pós-operatório correto dificilmente ocorrem complicações. “Peço para evitar nas primeiras 48 horas qualquer alimento com resíduos como farelos e grãos que possam ficar acumulando no local do ponto. Também peço para colocar um pouco de gelo nos primeiros dias. O resultado a gente já começa a ver com três semanas, mas o final é com seis meses, que é quando ocorre a recuperação total. Antes de operar fazemos apenas um pré-operatório comum em qualquer procedimento cirúrgico”, diz.

Pacientes magros têm maior garantia de satisfação
Questionada sobre as possíveis complicações, a médica enumera: “Apesar de ser uma cirurgia rápida, é um local nobre, próximo a muitas glândulas, nervos e artérias, que são estruturas importantes da face, então há o risco de lesões nessas regiões. Por isso a operação tem que ser feita por um profissional que tenha muito conhecimento da anatomia. Recebemos vários pacientes com complicações que chegam com inflamações, hematomas, porque o profissional não soube resolver uma complicação”.

A cirurgiã-plástica estima que o valor do procedimento varie entre R$6 mil e R$10 mil, mas frisa que isso pode variar muito por causa do valor da internação e das diferenças de preço em cada região do país. Carolina diz ainda que a procura pelo procecimento na maioria das vezes acontece por pacientes magros que têm o rosto arredondado. E dá a dica: “Pacientes acima do peso dificilmente conseguem um resultado mais satisfatório porque a diferença é muito discreta. É um procedimento que dá uma acentuada na região malar e mandibular, no contorno da face. Por isso, em pacientes acima do peso a garantia de satisfação é menor”.

Comparação de pomadas para assaduras

Comparação de pomadas para assaduras

Leia também: Hipoglós funciona

Comparação de pomadas para assaduras
Eu estou sempre tentando comparar as opções disponíveis dos produtos mais usados pela minha filha Bruna e quero compartilhar com vocês as conclusões da minha comparação de pomadas para assaduras.
O mais barato nem sempre é o pior. Assim como o caro nem sempre é o melhor e o melhor para a minha bebê pode não ser a melhor para outros bebês.
Nesse contexto, a melhor pomada para assaduras, por exemplo, também vai depender do orçamento disponível, da pré-disposição da criança em assar mais ou menos, etc.
Eu tenho facilidade para comprar produtos nos Estados Unidos e, por isso, também analisei duas pomadas americanas.

roteiro-baby-comparação-pomadas
No entanto, as opções brasileiras são variadas e é possível concluir, como vocês verão abaixo, que apesar da melhor pomada para o dia-a-dia, na minha opinião, não ser “made in Brasil”, existem pomadas brasileiras excelentes.

1. HIPOGLÓS:
A diferença entre a Tradicional e a de Amêndoas está no cheiro e na facilidade de remoção, que a última oferece.
POSITIVO – A embalagem plástica com tampa fácil de abrir e fechar, e em tamanhos diferentes: o prático (45g), que é pequeno e fácil de levar na bolsa, o trocador (90g), ideal o dia a dia e o mega econômico (135g).

NEGATIVO – A pomada tem uma consistência muito grossa, que dificulta tanto a aplicação quanto a remoção. Dizem que a de Amêndoas sai com um pouco mais de facilidade.

IMPORTANTE – Há quem diga que o cheiro e a cor branca também são pontos negativos mas, acreditem, eu adoro o cheiro de hipoglós e acho que uma pomada transparente, às vezes, pode não ser totalmente retirada a cada troca de fraldas. Por isso, prefiro as brancas, desde que seja fácil de ser removida.

Preço = O tamanho Mega Econômico (130g) custava, na época deste post, R$14.
Conclusão: Não indico o uso, já que o “esfrega-esfrega” necessário para retirar a pomada, na minha opinião, pode causar e/ou piorar as assaduras, que é justamente o que queremos evitar usando pomadas.

2. DERMODEX PREVENT:
Só testei a Prevent, apesar de existir uma opção desta pomada só para tratamento.

POSITIVO – Cheirosa e fácil de aplicar. A embalagem plástica e a tampinha são práticas e, o principal: rende MUITO.

NEGATIVO – Não é muito fácil de sair, apesar de ser bem melhor que a Hipoglós.

Preço médio = A embalagem com 45g custava, na época deste post, R$9,90

Conclusão: Compensa pelo rendimento e cheiro, mas não oferece a melhor proteção contra assaduras. Para o dia-a-dia de um bumbum sem assaduras é ótima. Mas se o bebê assar, o ideal é usar outra pomada que de tratamento.

3. BEPANTOL:
Só testei a pomada, que é para prevenção e tratamento, apesar de existir uma loção só para tratamento.

POSITIVO – Excelente tanto em proteção quanto em tratamento. Fica transparente e é fácil de ser removida.

NEGATIVO – Pomada muito satisfatória. De negativo talvez só o preço. A tampa que antes era de rosca, agora é abre-fecha. E a pomada agora se chama Bepantol Baby e vem em dois tamanhos, um tubo plástico menor de 30g e um maxi-tubo de 60g.

Preço Médio = A embalagem com 30g custava, na época deste post, R$12

Conclusão: Se você procura tratamento e proteção, esta é a melhor pomada brasileira. Se a criança já estiver assada, a Bepantol é a indicação para o tratamento também, pois é uma pomada cicatrizante. Mas se o preço dela pesa no orçamento da família ou se a criança não está assada, é possível usá-la em casos específicos (só à noite, por exemplo) e, no dia-a-dia, dar preferência para outras mais baratas.

4. CALÊNDULA BABYCREME, DA WELEDA:

POSITIVO – Tem cheiro suave e vem em embalagem de 75g. É fácil de espalhar, tem bom rendimento e muitos pediatras e enfermeiras indicam dizendo que é mais “natural”.

NEGATIVO – Deixa a desejar tanto na prevenção quanto no tratamento. A embalagem é metálica e a tampa é de rosca. Também não fixa na pele se ela estiver úmida.

Preço = A embalagem com 75g custa R$ 19

Conclusão: Custa mais ou menos o mesmo preço da Dermodex. É durável porque a embalagem é grande e tem que ser aplicada com a pele bem sequinha. Não é fácil de ser encontrada em qualquer farmácia.

5. NISTATINA + ÓXIDO DE ZINCO
É a genérica da DERMODEX TRATAMENTO:
OBS.: não testei essa porque a Bruna nunca assou. Mas vi que a opinião abaixo é quase unanimidade entre as blogueiras que já comentaram sobre essa pomada.

POSITIVO – Espalha bem e é ótima para tratar assaduras mais graves. Por ser uma versão genérica, é fabricada por diversos laboratórios e está disponível no mercado a preços variados.

NEGATIVO – A embalagem metálica e a tampa de rosca (que também não adapta a outra tampinha).

Preço = A embalagem de 60g custa de R$14 a R$21.

Conclusão: Excelente para tratamento. Mas, apesar da bula recomendar o uso diário, os pediatras recomendam só usar pontualmente, por ter ação antibiótica.

6. DESITIN (Americana)
Eu testei a “Maximum Strength” (da embalagem roxa) que é exatamente a mesma coisa da nossa Hipoglós (até o cheiro é idêntico) com a vantagem de proteger muito mais e a “Rapid Relief Creamy” (embalagem azul), que é a MELHOR, para uso diário, na minha opinião.

POSITIVO – Nos Estados Unidos a Desitin é bastante conhecida como a MELHOR pomada do mundo. Meu pediatra, que tem uma filha morando nos EUA que me indicou. Eu uso a Maximum Strength (40% de óxido de zinco) desde que a minha filha Bruna nasceu, no mínimo à noite, e ela NUNCA assou. Mas, apesar de espalhar bem, essa opção da Desitin é BEM difícil de ser retirada. Tem embalagem de plástico. Mas o melhor é o seguinte: a opção da Desitin Rapid Relief (13% de óxido de zinco), apesar de branca e pastosa, seca muito rápido (o que requer uma certa prática para passar a quantidade certa e espalhar rapidamente, antes de secar) e, depois de seca, forma uma película protetora branquinha que só sai quando a pele é molhada. O bacana está no fato de que não é preciso ficar esfregando o bumbum para tirar a pomada. Ela é meio “solúvel” e assim que passamos o algodão molhado ela sai. A diferença entre a Desitin de embalagem roxa e azul é a concentração de óxido de zinco (40 x 13%), mas ambas são excelentes pomadas!

NEGATIVO – A única coisa ruim é que só é vendida nos EUA. Já vende no Brasil – apenas a azul – em farmácias e supermercados.

Preço = No Brasil, o preço médio é R$20 o tubo de 57g.

Conclusão: Concordo com os americanos. A Desitin é a melhor pomada e a versão “Rapid Relief” (azul) é indefectível.

7. BALMEX (Americana)

POSITIVO – Também é bastante conhecida nos EUA e está disponível em vários tamanhos e embalagens, inclusive em potão de bancada (que eu acho não-higiênico) e bastão, que deve ser bacana para uma troca mais rápida de fraldas na rua, evitando sujar demais as mãos das mamães. É bem provável que tenha uma boa eficácia, já que atende bem ao exigente mercado americano. A minha filha não assou durante a semana que usei. Mas eu desisti de usar, mesmo tendo comprado dois tubos grandes porque não gostei mesmo.

NEGATIVO – O cheiro, com certeza. E olha que eu gosto do cheiro de Hipoglós, hein, gente?! Se acho essa fedida, é porque é BEM fedida. Tem um cheiro meio salgado de azeitona! (risos). Além disso, é muito grossa (custa a sair do bastão e na pressa dá a maior falta de paciência), um pouco difícil de espalhar, apesar de não ser muito difícil de ser removida. É branca (que eu já disse que não me incomoda, desde que seja fácil de ser removida) e só vende nos EUA.

Preço = A embalagem de 4Oz (113g) custa U$ 3,95 ou +- R$7 (metade do preço da Desitin)

Conclusão: Por mais que proteja bem, tem alguns dos defeitos da nossa Hipoglós e ainda é difícil de comprar, por ser americana. Penso que se a mãe tiver acesso a produtos importados, deve comprar a Desitin, famosa pela proteção e fácil de usar. Acho que nada justifica a importação da Balmex.

Automassagem para perder barriga

Auto-massagem para perder barriga

A automassagem na barriga ajuda a drenar o líquido em excesso e diminuir a flacidez na barriga, e deve ser feita com a pessoa em pé, com a coluna reta e de frente para o espelho para que se possa ver os movimentos realizados.

Para que a automassagem na barriga tenha efeito, é recomendado que seja feita pelo menos 3 vezes na semana e seja acompanhada pelo consumo e água, dieta equilibrada e prática de atividade física regular.

Benefícios da automassagem na barriga
A automassagem para perder barriga é uma ótima aliada para emagrecer porque ela mobiliza o tecido gorduroso, melhorando o contorno corporal. Além disso, a automassagem para perder barriga ajuda a:

Leia também: Phytophen funciona

Drenar o líquido acumulado junto da gordura da barriga;
Diminuir a flacidez da barriga;
Eliminar a celulite da barriga;
Promover o bem-estar.
A automassagem para perder barriga deve ser feita com a mulher em pé, com a coluna direita, de frente para o espelho, após o banho e com um creme para perder barriga, preferencialmente. Os movimentos devem ser realizados com alguma força e firmeza para conseguir ter bons resultados. Saiba mais sobre o creme para perder a barriga.

Como fazer a automassagem para perder a barriga
A automassagem para perder a barriga pode ser feita em três passos principais:

Leia também: Drenagem Linfática funciona

Aquecimento: Espalhe um pouco de creme nas mãos e passe em todo o abdômen. Com a palma das mãos, faça movimentos circulares no sentido horário ao redor bo umbigo e depois realize o mesmo movimento com as mãos sobrepostas. Repita esse movimento entre 10 e 15 vezes;
Deslizamento: Massageie a parte lateral do abdômen usando as duas mãos, em sentidos opostos, de cima para baixo, pressionando sempre até chegar ao quadril, tanto para o lado direito como para o esquerdo. Repita os movimentos entre 10 a 15 vezes;

Leia também: Kifina funciona
Drenagem: Posicione a palma das mãos na altura da costela e faça movimentos de cima para baixo em direção às virilhas, pressionando a barriga e friccionando os dedos. Repita os movimentos entre 10 e 15 vezes.
A automassagem para perder barriga juntamente com uma alimentação saudável, ingestão de muita água e exercício físico resulta quando é feita pelo menos 3 vezes por semana, mas tem melhores resultados se for fazendo todos os dias. Veja no vídeo a seguir outras 3 dicas para ficar com a barriga definida:

Leia também: Farinha seca barriga funciona

Suplementação com biotina pode aumentar a produção de leite

Suplementação com biotina pode aumentar a produção de leite

A biotina é uma vitamina do complexo B, sintetizada pelos micro organismos do rúmen. Algumas pesquisas já demonstraram que a síntese de biotina (in vitro) diminui quando a proporção de concentrado na dieta aumenta. Em função do aumento de produtividade do rebanho, ou então por deficiências na qualidade das forragens, é comum o fornecimento de altas quantidades de concentrado para vacas leiteiras. Isto deve aumentar a probabilidade de resposta à suplementação com biotina.

Leia também: comprar Biotina

A biotina está envolvida com o metabolismo energético. Ela é um cofator essencial ao funcionamento de várias enzimas. Alguns microorganismos que degradam celulose também requerem biotina. Experimentos já demonstraram que a digestão da celulose (in vitro) pode ser aumentada com suplementação de biotina ao meio de cultura.

Outro papel da biotina é na queratinização e diferenciação das células epidérmicas. Estas funções são críticas para a correta formação estrutural do casco. Diversos estudos têm demonstrado melhoria na saúde dos cascos com a suplementação desta vitamina.

Um experimento realizado na Universidade Estadual de Ohio (EUA), testou o efeito da suplementação de dois níveis diferentes de biotina em vacas em início de lactação. Foram utilizadas 45 vacas e o experimento teve início 14 dias antes da data prevista para o parto e continuou até 100 dias em lactação. Os tratamentos consistiram de um controle (sem biotina), um tratamento com 10 e outro com 20 mg de biotina suplementar por dia. As vacas foram ordenhadas duas vezes ao dia e alimentadas individualmente uma vez ao dia.

Os resultados são bastante interessantes. A suplementação com biotina não teve efeito na ingestão de matéria seca (IMS), mas a produção de leite aumentou linearmente (P<0,05) com a suplementação com biotina. O tratamento não teve efeito na produção de leite corrigida para energia. As porcentagens de gordura e proteína verdadeira, bem como a produção de gordura, não foram afetadas significativamente pelos tratamentos, mas a suplementação com biotina aumentou linearmente (P<0,03) a produção de proteína verdadeira (tabela 1).

Tabela 1- Efeito do fornecimento diário de biotina na produção dos primeiros 100 dias em lactação

Também não houve efeito da suplementação na condição corporal dos animais ou em seu peso vivo.

Da mesma forma, as concentrações de glicose, insulina e NEFA (ácidos graxos não esterificados) no plasma não foram alteradas. Também, as porcentagens molares de acetato (A), propionato (P), e butirato, além da relação A:P ruminal não foram estatisticamente diferentes entre os tratamentos. As concentrações de biotina no plasma nos dias 1, 30, 60, e 100 aumentaram linearmente (P<0,01) conforme a biotina da dieta aumentou.

Os autores argumentam que outros experimentos já demonstraram aumento na produção de leite com a suplementação de biotina e que as razões deste aumento ainda não são compreendidas. Existem algumas hipóteses, dentre elas a de que a melhor saúde dos cascos permitiria melhor locomoção dos animais que, como conseqüência, aumentariam o consumo de matéria seca. Outra hipótese seria de uma mudança na partição de nutrientes, deslocando-os para a produção de leite, ou ainda um aumento da produção de glicose e maior digestão da celulose.

Avaliando as hipóteses acima mencionadas, a falta de efeito na ingestão de matéria seca, e a imediata resposta em produção sugerem que a melhor saúde do casco não foi a razão principal para o aumento da produção neste experimento. A mobilização de gordura corporal poderia fornecer energia extra para a produção, mas não foram observadas mudanças na condição e peso corporal, bem como nos ácidos graxos do plasma sangüíneo, o que sugere que, neste experimento estas também não seriam explicações razoáveis para a resposta em produção. A biotina também não teve efeito nas porcentagens molares de ácidos graxos voláteis (AGVs) sugerindo que a população bacteriana do rúmen não diferiu entre os tratamentos. Não foi medida a produção total de AGVs, portanto, a falta de efeito nas porcentagens dos AGVs não prova definitivamente uma possível alteração na digestão da celulose pelos tratamentos.

Os autores concluem que houve um aumento linear de produção com a suplementação com biotina, porém as causas desta resposta precisam ser melhor investigadas.

Comentário do autor: a biotina parece estar mostrando grande potencial como aditivo em dietas de animais em início de lactação, com grande suplementação de concentrados na dieta. Nas condições deste experimento bastaria avaliar seu custo diário em relação à resposta em leite, já que não ocorreram quaisquer outros tipos de alterações (consumo, condição corporal, etc…). Se adicionarmos a isto uma possível melhor saúde dos cascos, seu uso pode ser bastante vantajoso. A dificuldade estaria em sua aplicação que teria que ser feita através de suplementos vitamínicos especiais incorporados à dieta. Também é importante que se entenda melhor seu modo de ação para que se possa avaliar sob quais condições seu emprego é interessante.

Varizes: o que significam

Varizes: o que significam

Varizes são veias dilatadas que podem aparecer em diversas regiões do corpo. São facilmente observadas por baixo da pele, especialmente nas pernas, causando dor e desconforto. Muitos acham que é apenas um problema estético, mas, na verdade, elas indicam que algo de errado na circulação do sangue venoso pelo organismo.

As varizes nas pernas são as mais comuns, mas existem outros tipos:
Varizes pélvicas
Estão localizadas na região pélvica, ou seja, surgem ao redor do útero, trompas e ovários. Causam dor abdominal intensa na mulher durante e após as relações sexuais, sensação de peso na região íntima, aumento do fluxo menstrual e incontinência urinária.

Varizes esofágicas
Não costumam apresentar sintomas, mas podem levar a vômitos, sangue nas fezes, tontura e perda da consciência. Esse tipo de varizes normalmente acontece em função da cirrose hepática.

Leia também: Varicell preço

Esse tipo de varizes pode ser diagnosticado por endoscopia digestiva e exames de imagem, como tomografia computadorizada e ressonância magnética.

Sintomas
Sensação de peso e dores nas pernas;
Formigamentos;
Sensibilidade na região;
Manchas escuras na perna.
*É importante observar as características, assim como os sintomas associados para que a orientação do tratamento pelo médico seja a mais correta possível.

Causas
As causas podem ser de fatores genéticos e relacionados com o comportamento.

Os fatores de risco
Gravidez;
Sedentarismo;
Excesso de peso e obesidade;
Predisposição genética;
Idade (pessoas mais idosas);
Sexo feminino;
Uso de anticoncepcionais;
Passar muito tempo em pé;
Condições que aumentam a pressão no abdômen, tais como doenças do fígado, líquido no abdômen ou insuficiência cardíaca;
Fístulas arteriovenosas;
Passado de Trombose venosa profunda;
Menopausa.
Tratamento de varizes
Drenagem linfática;
Escleroterapia (aplicação de varizes);
Cirurgia (para varizes de grande calibre e com sintomas como dor, coceira e inchaço nas pernas que podem comprometer o movimento).
O médico especialista, depois de uma avaliação irá selecionar qual o melhor tratamento.

*As varizes que se desenvolvem durante a gravidez geralmente melhoram sem tratamento dentro de três a 12 meses após o parto.
*Meias de compressão também podem ser usadas para o controle das varizes, pois ajudam a direcionar o retorno do sangue venoso de volta ao coração.

Prevenção
Praticar exercícios;
Manter o peso saudável;
Comer um alto teor de fibras;
Reduzir o consumo de sal;
Elevar as pernas sempre que possível;
Evitar ficar muito tempo na mesma posição.

Na Policlínica Granato você encontra Angiologistas no Rio de Janeiro, Niterói e Nova Iguaçu prontos para atender você e dar todas as orientações.

 

Cólicas menstruais: saiba o que fazer para reduzir a dor

Cólicas menstruais: saiba o que fazer para reduzir a dor

Vida de mulher não é fácil. Muitas, infelizmente, têm um encontro marcado com as desagradáveis cólicas menstruais todos os meses. Essas dores são comuns, mas, em alguns casos, dificultam a rotina de trabalho e a realização das atividades cotidianas mais básicas.
Se você é parte desse time, confira, abaixo, algumas informações sobre as cólicas e o que é possível fazer para reduzir seus efeitos negativos.

Como surgem as cólicas?
Conhecida também como dismenorreia, a cólica menstrual é uma dor na região do pé da barriga, parte mais baixa do abdome que surge como manifestação de contrações do útero. Essa ação é necessária para eliminar o endométrio quando uma gestação não aconteceu (a camada interna uterina cresce a cada ciclo com o objetivo de preparar o local para receber um embrião, caso a mulher engravide).

As cólicas são divididas entre primárias e secundárias.

A cólica primária é quando desde o primeiro ciclo menstrual da vida da mulher ela já tinha cólicas. A secundária é quando ela antes não tinha cólicas e passa a ter em algum momento da vida. Geralmente a dismenorreia secundária nos preocupa mais, mas toda cólica deve ser valorizada se incomoda a mulher.

Leia também: Atroveran funciona

As mulheres nessa situação devem procurar um ginecologista para um diagnóstico mais preciso e para receber o tratamento adequado.

Como diminuir as dores?
Existem técnicas que podem ajudar a diminuir o desconforto causado pelas cólicas menstruais regulares. Veja alguns exemplos:

Faça exercícios físicos
Isso auxilia a relaxar a musculatura da região e a suavizar as dores.

Pratique meditação
Há estudos que comprovam o benefício da meditação diária para alívio de dores crônicas.

Tome medicamentos para a dor
Um médico pode receitar um analgésico ou remédios específicos para diminuir esse incômodo e lembre-se: a automedicação não deve ser uma alternativa. Sempre procure a ajuda de um profissional!

Mantenha o abdômen aquecido
Tomar um banho quente e repousar com uma bolsa de água aquecida sobre a região dolorida pode contribuir para aliviar o desconforto. Isso porque o calor tem capacidades de relaxamento muscular.